a própria

a própria

segunda-feira, 20 de junho de 2016

não se pode dizer que administração nivaldo melo "nem fede nem cheira". no simbólico e no real, fede e cheira mal *

a obsessão pela reordenação " estratrégica" da orla à frente da sua pousada 
já asfixiou as dunas que não podem mais sequer respirar o mar



.... " Na praia do Pontal, os moradores estão preocupados com um material que foi colocado na areia. Segundo a prefeitura, o rejeito da cana de açúcar estaria sendo usado como adubo* para a reposição da mata nativa. 

“Trouxe pra cá com o intuito de haver um reflorestamento da salsa. Mas a salsa é uma planta nativa que não precisa de nada para que ela floresça. A população de Baía Formosa está preocupada com o que o rejeito pode causar tanto ao ambiente marinho como à população”, disse a geógrafa Sara Brito.

Os moradores temem que, com as chuvas, o rejeito de cana de açúcar seja levado para o mar. “Tudo isso deixa a gente preocupado e angustiado, porque esse é nosso ambiente de lazer e temos que preservá-lo”, disse o surfista Diego Maia.

Os problemas na praia do Pontal são antigos. Em fevereiro de 2014, o RN TV mostrou a polêmica causada pela obra de revitalização de parte da orla. Na época, o projeto previa a construção de um muro, que iria descaracterizar o local. Um ano depois, a obra foi paralisada, mas os moradores continuam preocupados. Depois que a tubulação de drenagem foi concluída, o mau cheiro na praia aumentou. “O rejeito libera gás sulfídrico, essa parte da praia está fedendo a ovo podre”, continuou a geógrafa Sara Brito.

Beta Leite, diretora de Meio Ambiente da cidade, nega que o material possa prejudicar a praia. Segundo ela, a prefeitura está cumprindo determinações do Idema. “Nós tivemos a responsabilidade, até porque foi feito um estudo pelos engenheiros agrônomos e que disse que, realmente, tem um mau cheiro*, mas é porque o material é recorrente dessa matéria orgânica da cana de açúcar. Mas não existe um estudo que comprove que faça mal à saúde humana”, informou.

De acordo como o Idema, a obra foi embargada nesta terça-feira(24/03) durante uma vistoria. " Nós embargamos. Se ele insistir em construir algo nessa área, será infração"**, disse Luiz Augusto, diretor técnico do Idema-RN" ....


* fica a questão: de onde vem este rejeito ? como, a quem, e porque foi adquirido e empregado ?  porque raios alguém quer adubar o que não precisa de adubo ?  se não existem estudos que comprovem que faça mal à saúde também não existem estudos que digam que faz bem ou que é placebo. 

o que se percebe é que quem administra a cidade é o empresário mais preocupado em promover facilitações a sua pousada, pouco se lixando com o bem estar da população ou da natureza. afinal, não é de hoje que se percebe material fétido exalando mau cheiro naquela área, mais concretamente oriundo do chalemar. 

cheira mal. cheira muito mal. e não é de hoje. aliás o mau cheiro de baía formosa já sente a entrada da cidade com aquela "coisa" que se tornou o centro turístico obra de gestão passada e que foi " inexplicavelmente " ignorada e abandonada pela gestão atual. 

** "Em fevereiro de 2014, o Instituto emitiu uma notificação para a paralisação da obra, e em março do mesmo ano, emitiu uma nota técnica, a fim de reavaliar o projeto, exigindo uma série de condicionantes para a execução das obras de urbanização. A prefeitura não cumpriu com as condicionantes.  A  partir de agora, o prefeito terá que atender a determinação do Idema, caso contrário, será autuado com multa que varia de R$ 15 mil à R$75 mil reais."

* originalmente publicado em 26/03/15, no aretipicaba.blogspot.com que cede lugar a este blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário